Você deveria saber...



 Sabe, eu me lembro a primeira vez que eu te vi. O João tinha me mandado um monte de torpedos falando que eu tinha que encontrá-lo na praça porque ele tinha algo muito importante para me contar, com o João é assim, tudo é importante, e ele não espera. Fui até a praça com a roupa da escola mesmo, pois havia passado o resto do dia jogando video game. Imaginava que ele iria me contar sobre um novo recorde, uma nova roupa, alguma treta que teve no colégio após eu ir embora, alguma coisa desse gênero, mas... nossa, aquele dia eu passei longe.
  Cheguei até a praça e ele parecia louco para me contar a novidade. Lembro que eu zoei ele, falando que ele parecia uma menina louca quando vê o seu ídolo na frente, lembro também que ele me socou logo após disso. Ele falou que tinha uma grande notícia para dar a todos e que queria que eu fosse o primeiro a saber, falei pra ele 'Desembucha logo!' e ele falou para uma menina vir, ela tinha longos cabelos loiros com mechas rosas, tinha olhos azuis como o céu e parecia tímida, sim, é você. Fiquei de queixo caído e ele me contou que vocês estavam namorando, o que quase me fez cambalear para trás. A noticia foi breve e logo você ia embora, queria que você ficasse, queria te conhecer, mas logo sua mãe chegou e você foi embora, vi o carro desaparecer, não foi o único, João fez a mesma coisa que eu. Assim que o carro sumiu de vez, eu praticamente gritei: Uau João, ela é muito linda, meu Deus! Logo após minha declaração, tive que aturar ele o resto do dia inteiro, e pensar que não era nem 15 horas.
  Os dias foram se passando e nunca mais te vi, parte de mim ficou feliz, não poderia achar a namorada do meu melhor amigo tão linda assim, mas a outra parte implorava por um encontro seu. Parece que o destino quis atender a segunda parte, porque no meu primeiro dia no inglês eu te vi, nós trombamos um contra o outro e você foi a primeira a falar: Você é o amigo do João, não é? Respondi algo bem bobo, algo como um: hã. O que vez você rir. Você foi muito gentil comigo, naquele dia e em todos os outros. E a cada dia que você conversava comigo, algo em mim crescia, no tempo em que estava de bobeira, meus pensamentos voltavam e voltavam para você; já não conseguia olhar na cara do João, estava apaixonado pela namorada dele! A primeira que o amava, a primeira que não o largou na primeira semana, a primeira - e vamos falar, única - que ria das piadas dele.
  Então aqui escrevo esse e-mail, quero que você saiba que o sentimento que sinto por você está tomando conta de mim, não consigo fazer nada sem que meus pensamentos pairem em você. Eu tentei, honestamente, tentei muito, fui em baladas, festas, missas, rodei o shopping mais de 30 vezes procurando outra garota para chamar a minha atenção, mas nenhuma delas era você, nenhuma delas tinha o cabelo com cheiro de melancia, nenhuma delas tinha a risada de um anjo, você tem. Faz mais de duas semanas que não falo com o João, e talvez três com você. É que toda vez que te vejo, tenho vontade de gritar por você, de dizer tudo o que minha alma quer dizer; e toda vez que vejo o João, eu quero contar a ele que eu te amo, mas do que qualquer uma que eu já vi. Tudo isso está me deixando louco, e aqui estou eu, dizendo tudo isso para você, pois eu vou embora, meus pais vão mudar de cidade e não poderia ir sem te dizer isso.

Eu te Amo.
Alex

Nenhum comentário:

Postar um comentário

O que você achou dessa postagem? Deixe seu comentário!